quarta-feira, 4 de agosto de 2010

A felicidade é relativa.


Triste eu?

Não sou!

Mas se assim pareço, não devo nada a ninguém. Se escrevo com força, com lágrimas nos olhos, com palavras tristes, não posso fazer nada. Sou assim e gosto de ser. Porém deixo claro que estas lágrimas não caem para me borrar a face e nem sempre é um sentimento meu. Eu sinto e escrevo. Verdade que muitas vezes sai de mim, mas nem isso me torna uma pessoa infeliz. Quero escrever a vida, e é isso o que eu faço. Se não consigo mostrar as nuances de alegria, sinto muito. Não gosto de colorir fatos que me parecem tão cinzas. Uma coisa eu posso garantir

[...]

Sou feliz sendo triste.

Nenhum comentário:

Postar um comentário