domingo, 2 de agosto de 2009

Gente Humilde


Tem certos dias em que eu penso em minha gente e sinto assim todo o meu peito se apertar.Por que parece que acontece de repente feito um desejo de eu viver sem me notar.Igual a como,quando eu passo no subúrbio. Eu muito bem vindo de trem de algum lugar e aí me dá como inveja dessa gente,que segue em frente sem nem ter com quem contar. São casas simples,com cadeiras na calçada e na fachada,escritório em cima que é um lar. Pela varanda flores tristes e baldias como a alegria que não tem onde encostar. E aí me da uma tristeza no meu peito feito um despeito De eu não ter como lutar E eu que não creio peço a deus por minha gente.. É gente humilde,que vontade chorar..

Nenhum comentário:

Postar um comentário